TRATAMENTO TERCIÁRIO

Ver modelos e tabela de dimensões (clique aqui)

O Sistema de Tratamento Terciário, para Afinação do Efluente Secundário, surge de modo a criar água com aptidão para uso em operações de rega, conforme estabelecido no Anexo XVI do Decreto-Lei nº 236/98, de 1 Agosto e na Norma Portuguesa NP 4434-2005 sobre Reutilização da Águas Residuais Urbanas Tratadas na Rega.

CONSTITUIÇÃO DO SISTEMA

ELECTROBOMBA DE SUBMERSÍVEL - A eletrobomba submersível permitirá a elevação do efluente, após tratamento secundário, para o sistema de filtração e desinfeção. Será para instalação no interior do tanque de arejamento (reator biológico) e é construída em aço inox AISI304.

FILTRAÇÃO - Após o tratamento biológico, o efluente é bombado para o Filtro multimédia para remoção de matéria em suspensão. As partículas normalmente retidas nos filtros incluem matéria orgânica natural (quer coloidal, quer precipitada) e microrganismos.

Este filtro multimédia é fornecido com a garrafa, a válvula automática, o sistema de difusão interno, um kit de adaptadores para ligação da válvula, um acessório de tomada de pressão para pilotagem (série T), by-pass externo (série AT), o material constituinte do leito filtrante, um pressostato e um manómetro. O leito filtrante é composto por duas camadas de gravilha e areia de sílica e uma camada de antracite.

DESINFECÇÃO - Após a filtração, o efluente é encaminhado para o sistema de desinfeção eletromagnético de dosagem volumétrica de hipoclorito de sódio, composto por:

  • Uma bomba de dosagem electromagnética com regulação manual e/ou proporcional ao sinal proveniente do contador com emissor de impulsos elétricos, dotada de sonda de nível mínimo (alarme de fim de produto);
  • Um contador volumétrico para água fria com emissor de impulsos elétricos;
  • Depósito doseador de 100 litros;
  • Bacia de retenção de modo a prevenir eventuais derrames;
  • Uma embalagem de hipoclorito de sódio para arranque do sistema.

RESERVATÓRIO DE CONTACTO/ARMAZENAMENTO DE ÁGUA TRATADA - Após a filtração e desinfeção é necessário assegurar um tempo mínimo de contacto (cerca de 30 minutos) entre a água a tratar e o desinfectante para garantir o tratamento da mesma. Para além de se assegurar o tempo de contacto entre a água e o desinfectante também permite o armazenamento da mesma após desinfecção.

Peça o seu Orçamento
Nome Produto (Obrigatório)
Seleccione se é Empresa ou Particular (Obrigatório)
Empresa
Nome de Contacto (Obrigatório)
Telefone (Obrigatório)
Localidade (Obrigatório)
Declaro que li e aceito aPolítica de Privacidade da Ecodepur (Obrigatório)
Mensagem
Transcreva os seguintes números: 1528
Fechar